twitterinstagrampinterest
19/11/2017

Lisboa, Lisboa



Se prepara pra um monte de fotos aleatórias e não muito coerentes da minha querida Lisboa, que estavam perdidas no celular. Achei uma boa oportunidade pra tirar a poeira do blog e falar um pouco desse lugarzinho que me faz tão bem. Eu amo essa cidade num nível bem surreal, mesmo com todas as ladeiras (e bota ladeira nisso), os seis meses de verão e as calçadas estreitas e escorregadias (que estão finalmente sendo renovadas, amém).




Adoro encontrar esses resquícios do passado no meio de prédios mais modernos, os parques que cortam a cidade, os inúmeros miradouros, como cada área de Lisboa consegue ser tão diferente da outra, o clima de cidade pequena e metrópole que coexistem e como parece tudo tão feliz no verão. E no outono, e no inverno, e na primavera.




Depois de um tempo a gente começa a ver um certo charme até nesse hábito de pendurar as roupas pra secar na janela. Não importa se é casaco, se é a roupa de cama, ou se é a calcinha. Também não importa se é na janela do terceiro andar ou se é no nível da calçada mesmo. No inverno, quando a paisagem fica mais monocromática, as roupas na janela são sempre um toque de cor a mais.





E pra falar da primavera, queria ter tirado fotos de quando a cidade estava toda roxinha por causa dos jacarandás plantados em tudo quanto é canto. Na época eu estava super desanimada com fotografia, fazendo planos de vender minha câmera (que acabei vendendo mesmo) e perdi a oportunidade de registrar o momento. Se eu não me engano, eles começam a florescer no começo de Maio e pintam a paisagem até meados de Julho. Primavera que vem estarei preparada, prometo.

Pra ser sincera, eu nunca pensei que eu fosse acabar morando aqui, porque o plano original era estudar em Aveiro, Leiria, ou ficar por Évora mesmo. Lisboa sempre pareceu um daqueles sonhos meio distantes, que a gente evita até de pensar muito pra não correr o risco de criar expectativas pra no final não rolar.

Mas da mesma forma que a vida às vezes puxa o tapete de surpresa, às vezes ela também empurra a gente numa direção maravilhosa. Só me resta agradecer e aproveitar.

4 comentários:

  1. Eu não sei se dou um treco de felicidade e amor pelas fotografias lindas, pelo layout maravilhoso (quando vai ter uma loja sua de template no etsy mesmo? rsrsrs) ou se por tu ter postado, hehe. :)

    Lisboa é tão bonita... Me passa uma sensação de nostalgia boa. Gostei tanto das fotos dos prédios que fiquei admirando um bom tempo. Quase me deu uma dor no coração quando você disse que vendeu a câmera, mas se é algo que você queria fazer, não tenho nem o que argumentar <3. Eu espero que você volte a fotografar mais, porque gosto muito dos seus registros e de quando escreve por aqui!

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Eu tô devendo abrir essa lojinha no Etsy há um tempão, veremos se colocar em primeiro lugar na lista de resoluções de ano novo dá certo, hahaha.

      Eu gosto demais da arquitetura da cidade. Sonho em um dia – quem sabe – reformar um desses prédios abandonados, modernizar por dentro, mas manter a faixada original. A girl can dream.

      Excluir
  2. as cores desse lugar são lindas demais. de encher os olhos ♥

    e no fim, a vida é uma eterna caixinha de surpresas. ela vai lá, pega todas nossas expectativas, nosso planos, a correria do dia a dia, os desejos que parecem improváveis e mais um punhado de coisas que a gente acha que nunca vai ter interesse, mistura tudo e voalá, surge nossa crazy fucking life ♥ haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lisboa deve ter a maior concentração de paredes rosas por metro quadrado, juro, hahahaha, e eu que adoro rosa e tons pastel fico só ♡ né?

      E são justamente essa imprevisibilidade toda que às vezes tornam essa crazy fucking life tão boa. ♡

      Excluir